O que visitar em Lisboa: 17 locais a conhecer na capital portuguesa

Lisboa continua a encantar o mundo e foi considerada uma vez mais o melhor destino “City Break” nos World Travel Awards. Como se não bastasse, a também conhecida como cidade das sete colinas, arrecadou ainda o prémio de melhor cidade destino.

A riqueza e atratividade da cidade está muito presente nas ruas, e o ideal é mesmo explorar caminhando. No entanto, se preferir ou não tiver muito tempo para desfrutar da capital portuguesa, a experiência de uma viagem em tuk tuk é uma excelente opção. Poderá conhecer, através de uma visita guiada, os sítios mais emblemáticos da cidade, que certamente ficarão na sua memória.

Seja de que modo for, apresentamos-lhe um guia dos principais locais que deve conhecer em Lisboa, para que aproveite da melhor forma a sua estadia:

1. A Praça do Rossio

Famosa pela estação de comboios (ninguém fica indiferente às suas portas) e pela ginjinha, a Praça do Rossio é um lugar icónico.

2. Elevador da Glória e Miradouro de S. Pedro de Alcântara

Da Praça do Rossio é fácil dirigir-se ao Elevador da Glória para conhecer um dos mais ilustres miradouros de Lisboa – o Miradouro de São Pedro de Alcântara.

O Elevador da Glória abriu pela primeira vez em 1885 e desde então é o mais utilizado da cidade. Em apenas 5 minutos conecta os Restauradores com o Bairro Alto.

As vistas do Miradouro de São Pedro de Alcântara para a colina do Castelo de São Jorge e para o centro da cidade fazem com que se torne numa experiência a repetir,  por mais vezes que já tenhamos ido à capital portuguesa! Tem dois níveis de jardins: no mais baixo encontramos uns jardins geométricos agradáveis e decorados com bustos de heróis nacionais e seres mitológicos. No nível superior, o mais conhecido, é possível encontrar bancos para sentar, esplanadas e uma fonte. Junto à balaustrada há também um mapa de Lisboa em azulejo que ajuda a identificar alguns pontos de interesse.

3. Convento do Carmo

Depois de apreciar as vistas, o convento Carmo é o lugar a visitar. É um antigo convento, destruído durante o terramoto de 1755 e que nunca chegou a ser reconstruído, concedendo-lhe uma imagem única graças aos seus arcos sem teto.

Um pouco mais abaixo do convento encontramos o Miradouro dos Terraços do Carmo.

4. Elevador de Santa Justa / do Carmo

Este elevador tem uma das vistas mais conhecidas de Lisboa por ser bastante visitado, mas consiste também num sistema de transporte público fazendo a ligação entre a rua do Ouro à rua do Carmo. Tornando este um dos monumentos mais interessantes da baixa Lisboeta.

5. O Chiado

O Chiado é considerado um dos bairros mais emblemáticos de Lisboa, é uma paragem obrigatória para qualquer turista que visite a cidade. Neste bairro podemos encontrar livrarias, cafés, restaurantes, ateliers, lojas, etc. Ao visitar o Chiado, um edifício que chama a atenção é o edifício dos Armazéns do Chiado, talvez pela sua dimensão. Estes armazéns chegaram a arder em Agosto de 1988.

Dentro do bairro do Chiado existem outros sítios que não pode deixar de visitar. Sugerimos que tome um café n’A Brasileira, tire a foto da “praxe” com a estátua do escritor Fernando Pessoa, visite a livraria Bertrand (considerada a mais antiga do mundo por ter sido fundada em 1732), passeie pelo Largo Luís de Camões e, por fim para os mais gulosos, não se podem ir embora sem provar um gelado na Santini.

6. O Miradouro de Santa Catarina/ d’O Adamastor e o Bairro Alto

Do Chiado ao Miradouro de Santa Catarina é um percurso bastante rápido, mas que dá a conhecer algumas ruas interiores de Lisboa. Neste miradouro é possível descansar e tomar uma bebida com vista para o rio Tejo. É também conhecido por miradouro d’O Adamastor por ter uma estátua do mesmo no jardim.

Perto, encontra-se o Bairro Alto, um bairro conhecido pela sua animação noturna. A noite Lisboeta começa aqui de bar em bar, mas é de dia que conseguimos ver as tradições que são mantidas em Lisboa como comércios locais, restaurantes de comida tradicional portuguesa e até mesmo artes e artesanato.

7. Basílica e Jardim da Estrela

Da zona do Bairro Alto, a melhor forma de se deslocar é experimentando o famoso eléctrico 28 que faz paragem junto à basílica da Estrela.

Foi construída como cumprimento de uma promessa da rainha D. Maria I, que em 1760 no dia do seu casamento com D. Pedro prometeu mandar construir uma igreja e um convento se da união resultasse um filho. A igreja foi consagrada em 1789 e é a primeira igreja do mundo dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Esta igreja contém uma das vistas mais incríveis sobre Lisboa e inclusive é possível avistar as montanhas de Sintra.

O Jardim da Estrela, também conhecido como o Jardim Guerra Junqueiro, é um dos jardins mais tranquilos da cidade, frequentado maioritariamente pelos moradores de Campo de Ourique. Dentro do espaço do jardim é possível relaxar numa esplanada dos cafés com uma vista sobre os lagos que ali albergam diversas espécies de animais.

8. Casa Fernando Pessoa

Do jardim da Estrela até à Casa de Fernando Pessoa é uma distância consideravelmente pequena. Inaugurada em 1993, foi concebida como um centro cultural em homenagem ao famoso escritor português e à sua obra. Tem uma biblioteca pública, espaço para exposições de arte e nos pisos superiores podemos ver a casa onde Pessoa viveu os seus últimos 15 anos e onde escreveu o Livro do Desassossego.

Não pode dar como conhecida a cidade sem conhecer o resto da baixa Pombalina. Foi edificada por ordem do Marquês de Pombal, na sequência do terramoto de 1755, cobrindo uma área de 255 hectares – Terreiro do Paço, Rossio, Praça da Figueira, o Cais do Sodré, o Chiado, o Carmo, a Sé e o Castelo.

9. Praça do Comércio / Terreiro do Paço

Era na Praça do Comércio, onde antigamente atracavam os barcos que chegavam a Lisboa. É um espaço ainda bastante amplo, mas que agora serve para passear e visitar os diferentes restaurantes que ali se encontram.

10. Sé de Lisboa

Seguimos pela Rua Augusta até à Rua da Conceição e subimos para a Sé de Lisboa. Mas antes de entrar pela Rua Augusta, aproveitamos para visitar o Miradouro do Arco da Rua Augusta, aberto às visitas desde 2013 e que oferece vistas 360º sobre toda a baixa lisboeta.

A construção da Sé teve início na segunda metade do séc. XII após D. Afonso Henrique ter tomado a posse aos mouros. Apresenta-se hoje com diferentes estilos arquitetónicos e é considerada monumento nacional desde 1910.

11. Castelo de S. Jorge

Da Sé ao Castelo é possível passar por distintos miradouros onde se pode ver a cidade de diferentes ângulos. Junto a estes miradouros encontram-se peças como painéis que vão contando a história de Lisboa.

O castelo é também conhecido pela sua vista, e o seu nome deriva da devoção a S. Jorge, o santo padroeiro dos cavaleiros e cruzadas, feita por ordem de D. João I no séc. XIV.

12. Panteão Nacional

O Panteão Nacional ou Igreja de Sta Engrácia está localizado no bairro de Alfama –um bairro que também vale a pena explorar.

Aqui estão enterrados os heróis nacionais portugueses e algumas figuras públicas mais acarinhadas pela nação, como é o caso de Amália Rodrigues, do Eusébio, Pedro Álvares Cabral, o Infante D. Henrique ou os vários Presidentes da República.

A experiência em Lisboa só fica realmente completa quando se prova um pastel de Belém.

 

13. Pastéis de Belém

Este pastel faz parte das doçarias mais conhecidas do país, mas apesar de ser possível encontrar um pastel de Nata pelo país inteiro é em Belém que está a receita exclusiva que faz com que não seja possível comer apenas um.

14. Mosteiro dos Jerónimos

É umas das principais igrejas-salão da Europa, o mosteiro dos Jerónimos é um ponto culminante da arquitetura manuelina. Considerado, juntamente com a torre de Belém, uma das sete maravilhas de Portugal. Dentro do mosteiro é possível apreciar os túmulos de Vasco da Gama e o de Luís Vaz de Camões, poeta português e autor do épico ‘Os Lusíadas’. Os poetas Fernando Pessoa e Alexandre Herculano são outras das figuras históricas que estão também sepultadas no mosteiro. Vale a pena visitar.

15. Torre de Belém

A Torre de Belém foi construída como um baluarte de defesa do estuário do Tejo em 1520, durante o reinado de D. Manuel, daí a decoração manuelina tão característica. Na altura da sua construção estava completamente rodeada de água.

16. Padrão dos Descobrimentos

O Padrão dos Descobrimentos serve como homenagem às figuras históricas envolvidas nos descobrimentos portugueses. Atualmente alberga diversas exposições interessantes e serve também como miradouro para o rio Tejo e para outra margem onde conseguimos avistar o monumento do Cristo Rei em Almada.

Se ainda tiver tempo e curiosidade, como dica extra, dirija-se à zona do Parque das Nações.

17. Oceanário

Vale a pena visitar o oceanário por ser o maior aquário de toda a Europa e o segundo maior do mundo. Com 25mil peixes, aves marinhas e mamíferos num gigantesco tanque central que tem todo o protagonismo do local. À volta encontramos recriações mais pequenas de habitats, como a Antárctica, África ou a Europa e as suas famosas marmotas descendentes do Eusébio e da Amália.

Agora resta desfrutar da luminosa cidade de Lisboa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *